Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI MEi credito consultoria BOAS PRATICAS

Loading SEBRAE

Vitivinicultura

Negócios

Mais cinco erros de marketing comuns praticados pelas vinícolas

atualizado em: 28/11/18
Rodrigo Lanari

Rodrigo Lanari

Executivo na área vinícola, proprietário da Winext

COMPARTILHE
Muitas vinícolas pequenas acreditam que sua paixão pelo produto é tão evidente que o mercado e os consumidores naturalmente sentirão a mesma coisa

Há algum tempo abordamos os “Cinco erros de marketing mais comuns das vinícolas”. Agora vamos completar com outros cinco erros que podem afetar o negócio, completando essas dicas, com base em artigo de Larry Lockshin.

 

1- Amo o meu vinho, portanto você também irá gostar

Muitas vinícolas pequenas acreditam que sua paixão pelo produto é tão evidente que o mercado e os consumidores naturalmente sentirão a mesma coisa.

Uma vinícola precisa de uma “história”, uma exposição real da sua existência e como ela se diferencia de outras vinícolas. Pode ser desde a sua relação com determinado lugar, como a marca surgiu, ou mesmo do seu vinho ser a combinação perfeita para um contrafilé. Não importa, desde que a história seja verdadeira, represente a marca e chame a atenção dos consumidores. Ela deve ser simples e direta, fácil de ser transmitida ao trade e aos consumidores.

Mais do que isso, você deve se sentir motivado a compartilhar essa história centenas de vezes e acreditar nela. Pode parecer repetitivo e monótono pra você, mas os compradores e os consumidores podem a estar ouvindo pela primeira vez. E precisam criar algum tipo de conexão com a sua marca. Autenticidade e conexão são elementos-chave. Vale aqui uma máxima de Simon Sinek: “as pessoas não compram o que você faz (produto), mas sim o porquê do que você faz (propósito)”.

 

2 – Delegar tudo aos especialistas

Muitas vinícolas precisam contar com a assessoria de especialistas. Frequentemente se beneficiam de consultores em enologia, viticultura e marketing. Boa parte das vinícolas pequenas terceiriza seu engarrafamento, sua distribuição e contrata designers freelancers para sua comunicação.

No entanto, é um engano pensar que estes profissionais farão tudo sem a participação ativa dos donos. Eles trabalharão por uma remuneração, mas no final das contas é o seu negócio. “O diabo mora nos detalhes”. Você deve cuidar de todos os detalhes e se responsabilizar pela sua execução. Ninguém fará isso por você.

 

3 – Escolher um nome que ninguém consegue pronunciar

As pessoas escolhem todo o tipo de nome para os seus vinhos por uma série de razões. Sejamos francos: se o foco da vinícola for vender o vinho, um nome fácil de lembrar e de pronunciar é a melhor estratégia. Não importa o quão nostálgico ou cheio de significados, se um consumidor não conseguir se lembrar do nome do vinho que tomou ou contar para um amigo, a chance de recompra será mínima.

A mesma premissa vale quando você for exportar o produto. Verifique se já existem marcas registradas com o mesmo nome, e se o seu nome não pode ser um impeditivo cultural no país consumidor.

 

4 – Sigo práticas orgânicas e sustentáveis. Isso me dará uma vantagem de marketing

Sei que o assunto é polêmico, mas sinto em dizer que há duas crenças falsas nessa frase. Pesquisas mostram que poucos consumidores se importam o suficiente para pagar mais por um vinho bio ou orgânico. Estudo feito com consumidores na Austrália, por exemplo, mostrou que menos de 10% dos inquiridos pagariam um pequeno valor a mais por um vinho produzido com práticas sustentáveis.

Isto pode se dar pelo fato das pessoas acharem que o vinho já se trata de um produto natural ou orgânico. A segunda razão é que práticas sustentáveis não são mais um elemento diferenciador, e sim um pré-requisito nesse mercado.

 

5 – Farei o marketing daqui a algum tempo, quando as coisas se acertarem

O marketing deve ser tratado da mesma forma com que se planta um vinhedo. Planejamento de longo prazo e atenção constante nos primeiros anos são imprescindíveis. Estabelecer uma marca é um processo de aprendizado (para o trade e consumidores). O posicionamento da vinícola, seus elementos diferenciadores e sua reputação de marca devem ser cuidadosamente pensados ao mesmo tempo em que se planta o vinhedo (ou, de preferência, antes dele).

Relegar o marketing para depois é como deixar de cuidar do vinhedo. A menos que você tenha sido abençoado pela natureza ou tire a sorte grande, seu negócio dificilmente dará certo sem andar de mãos dadas com o bom marketing.

Quer saber mais sobre o marketing de vinhos e as tendências desse mercado? Então acesse o Blog da Winext

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

23 de Agosto de 2019

Espaço Juntos para Competir receberá produtores rurais

SAIBA MAIS

 

22 de Agosto de 2019

Conheça as empresas selecionadas para a Feira Anuga

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 21/08/2019 17:22

Sebrae-RS promove encontros com quem pretende abrir uma Empresa Simples de Crédito

Sebrae RS Podcast 21/08/2019 17:19

Sebrae-RS realiza seminários sobre Empresas Simples de Crédito

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: