Loading SEBRAE

Mais buscados: sei mei credito consultoria boas praticas

Loading SEBRAE

Apicultura

Primeiros passos

Negócio apícola pode ser iniciado em espaços pequenos, mas exige busca de conhecimento técnico

21/02/17
Fabiano Nichele

Fabiano Nichele

Gerência Setorial do Agronegócio

COMPARTILHE
O Brasil é o oitavo maior exportador de mel do mundo, o que representa um valor de US$ 98,5 milhões em exportação.

Em comparação com outras atividades de produção animal, iniciar um negócio apícola exige investimento em torno de R$ 350,00 por 50 colmeias. A margem de lucro é alta, com um custo que representa em torno de 25% da produção final. Além disso, o apicultor tem a vantagem de trabalhar com uma espécie que contribui para o equilíbrio do meio-ambiente. Porém, cuidados com questões técnicas, sanitárias e de mercado são essenciais nesse negócio. E dominar os recursos tecnológicos do setor é fundamental.

O primeiro passo é buscar a avaliação técnica de um apicultor ou especialista do setor,  para verificar a possibilidade de começar o negócio no local definido. É necessário saber se a região possui boas floradas (época do desabrochar das flores), verificando quais são os tipos de flores preponderantes no local.

O apicultor precisa de um enxame com cerca de 50 mil abelhas, além da rainha, para começar a produção. “Em uma colmeia, existem três castas de abelhas: as operárias, a rainha, e o zangão, que vive para se reproduzir com a rainha. O zangão só consegue se manter na colmeia com uma boa quantidade de néctar ou uma alimentação alternativa, senão a rainha o expulsa”, explica Nelson Vuaden, apicultor e ex-presidente da Associação Gaúcha de Apicultores. Vuaden salienta que o apicultor iniciante não pode esquecer de trabalhar com EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) e EPC’s (Equipamento de Proteção Coletiva), tais como: botas, macacão para apicultura, chapéu tipo capacete e luvas.

16-gagro-apicultura-setor-apicola_840x415

Além do mel, o própolis, a geléia real, a cera de abelha e o pólen podem ser produzidos por quem trabalha com apicultura. O mais abundante é evidentemente o mel, alimento reconhecidamente aliado no combate a doenças, rico em minerais, proteínas e vitaminas essenciais à saúde. O Brasil, segundo a Abemel (Associação Brasileira de Exportadores de Mel), é o oitavo maior exportador de mel do mundo, o que representa um valor de US$ 98,5 milhões em exportação.

O apicultor e proprietário da empresa Mel do Tio Gerson, Gerson Fensterseifer, garante que para prosperar no negócio é necessário investir em tecnologia. “A pessoa que quer investir em apicultura certamente terá sucesso se fizer uma boa gestão, conhecer bem as floradas da região e usar a tecnologia a seu favor”, garante.

Um tipo de tecnologia que Fensterseifer cita serve para não perder as abelhas durante o inverno. O Alimentador Dolittle, por exemplo, evita a falência das abelhas por falta de alimentos, além de estimular a produção de ovos da rainha. “Com organização e planejamento o agricultor terá sucesso, pois espaço existe, e o investimento e custo de produção são baixos”, afirma.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

17 de Julho de 2018

Estande Coletivo do RS vende quase R$ 2,5 milhões na estreia da Francal

SAIBA MAIS

 

17 de Julho de 2018

O primeiro emprego é nas MPEs

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 16/07/2018 18:12

Empretec é lançado com um workshop em Rio Grande

Sebrae RS Podcast 13/07/2018 14:05

Série sobre Gestão - Plano de Negócios

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: