Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei CREDITO Mei CONSULTORIA boas praticas

Loading SEBRAE

Bovinocultura de corte

>
Números no campo

Métricas e indicadores mais importantes na produção de carne bovina

12/01/17
Roberto Grecellé

Roberto Grecellé

Coordenador estadual de pecuária de corte do SEBRAE RS.

COMPARTILHE
Elementos principais: lotação e ganho médio diário, taxa de desmame, taxa de desfrute, referenciamento da equipe, produção de arroba/ha/ano, desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano.

Há uma imensidão de dados que podem falar sobre como anda uma propriedade focada na produção de carne bovina. O acompanhamento tem se tornado cada vez mais ágil com o surgimento de softwares de gestão rural. Mas o simples fato de as informações estarem disponíveis não significa que fazem sentido ou têm o mesmo peso de significado. Como definir, então, o que realmente é relevante para entender o desempenho de uma propriedade?

O Gerente Regional da Campanha e Fronteira Oeste do SEBRAE RS, Ângelo Aguinaga, sugere dividir os dados em dois grupos: os mais técnicos e produtivos e os ligados aos fatores econômicos.

– É impossível deixar de pensar na lucratividade, que é um dos elementos principais levando em conta as questões econômicas. Pensando em produtividade, a taxa de desmame é essencial – escolhe.

De acordo com o Instituto Terra de Métricas Agropecuárias (Inttegra), focado em assessoria de métricas gerenciais, é possível estabelecer sete elementos principais: lotação e ganho médio diário, taxa de desmame, taxa de desfrute, referenciamento da equipe, produção de arroba/ha/ano, desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano.

112_gagro_bovino-de-corte_metricas_revisado-002_840x415

A taxa de desmame é importante por identificar os níveis de fertilidade dos animais e quantificar as mortes pré-parto e perdas de bezerros. Já a taxa de desfrute se refere a quanto o rebanho “rendeu” em relação ao número inicial de cabeças, crescendo. O referenciamento da equipe é um indicador mais subjetivo. Deve-se analisar se os trabalhos estão sendo realizados com qualidade na propriedade e se o número de pessoas dá conta da demanda. O percentual que os trabalhadores representam no faturamento da empresa deve ser levado em conta também. A produção de quilos/ha/ano está relacionada profundamente com o quanto a empresa fatura.

O desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano são os indicadores finais e que ajudam a entender o quanto a estratégia administrativa traz lucros para o produtor. O lucro é variável em cada região do país, mas deve levar em conta o total geral de despesas, a variação do rebanho e a área total de pasto.

É preciso fugir das médias de produtividade brasileiras atualmente, influenciadas por baixa aplicação de tecnologia no campo, e perseguir resultados de propriedades tecnificadas, a fim de obter êxito no negócio pecuário. A taxa de desmame média no Rio Grande do Sul, por exemplo, é de cerca de 60%, considerada muito baixa por especialistas. Em propriedades com manejo adequado, ela supera os 80%. Os ganhos nos indicadores técnicos costumam impactar positivamente nos econômicos.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

18 de Maio de 2018

Microempresas gaúchas fazem imersão no mercado norte-americano de alimentação

SAIBA MAIS

 

18 de Maio de 2018

Em busca da expansão

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 15/05/2018 14:32

Sessão de Crédito ensina sobre financiamento em Caxias do Sul

Sebrae RS Podcast 15/05/2018 14:31

Sessão de Crédito do Sebrae-RS vai percorrer todo o Estado

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: