Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei Mei credito consultoria Boas Praticas

Loading SEBRAE

Redes de Cooperação

Engajamento

Mídias sociais em prol do cooperativismo

03/09/18
Túlio Josué Pinheiro dos Santos

Túlio Josué Pinheiro dos Santos

Coordenador Estadual de Franquias e Redes Cooperação do SEBRAE RS

COMPARTILHE
As redes sociais são de grande impulso para as redes de cooperação e influenciam diretamente no relacionamento e troca de informações

Sem tempo para ler? Quel tal ouvir o artigo?

As redes sociais proporcionam uma grande diversidade de relações entre diversas pessoas e grupos. Por seu dinamismo, agilidade na troca de informações e compartilhamento mútuo, elas dão grande impulso para as redes de cooperação e influenciam diretamente no relacionamento e troca de informações dos envolvidos.

A ideia norteadora de quem trabalha com redes sociais em redes de cooperação muitas das vezes é a de reunir empresas do mesmo segmento e de porte semelhante com interesses comuns em cooperativismo. Desta forma, conseguem atingir mais facilmente seu objetivo primordial, que é o de constituir entidades juridicamente estabelecidas, com independência legal e preservando a individualidade de cada empreendimento participante.

O Programa Redes de Cooperação é um exemplo de movimentação em torno desse objetivo comum, com suporte essencial de mídias sociais. Criado no ano 2000, é uma iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul e, desde então, já implantou mais de 300 redes de cooperação no Estado, nas mais diversas regiões, através de convênios e parcerias com instituições de ensino superior regional.

Mídias sociais em prol do cooperativismo

Elci Lado Arguirre, coordenadora técnica do programa, explica que a comunicação entre os atores das redes de cooperação ganha muito com as redes sociais e aplicativos de mensagens. O contato entre os participantes de redes do mesmo segmento é constante, e uma das ferramentas sociais mais utilizadas é o Whatsapp. Ao mesmo tempo, redes como Facebook e Twitter recebem atenção especial por meio de consultorias de marketing digital, aplicando as estratégias de forma individual em cada rede de cooperação.

A localização das empresas pertencentes às redes de cooperação é um fator que contribui para a dificuldade nos encontros e seminários de trocas de experiências dos participantes. Um dos empecilhos é o custo que envolve promover eventos desse porte, que é minimizado pela divulgação nas redes sociais.

A especialista enfatiza, porém, que para ter sucesso com as redes de cooperação é importante envolver governo, entidades, empresas e universidades. O êxito dessas iniciativas pode ser avaliado pela enorme rede de relacionamentos, negócios e informações gerados a partir dessa experiência, e é neste setor que as mídias sociais podem fazer grande diferença, dando agilidade na troca de ideias e na difusão de conceitos, ideais e, claro, de oportunidades de venda dos produtos e serviços.

Veja também:

Palestra Online – Whatsapp Business: O que minha empresa ganha com isso?

Palestra Online – Como utilizar o Youtube na sua estratégia de comunicação

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Veja Mais

Franquias / Redes de Cooperação

Mercado

Tendências que irão transformar o turismo online

Notícias

20 de Março de 2019

Roteiro Morro de Amores ganha opção de café colonial

SAIBA MAIS

 

20 de Março de 2019

Empresas comemoram bons resultados na Expodireto Cotrijal

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 20/03/2019 15:48

Inscrições abertas para o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora

Sebrae RS Podcast 15/03/2019 18:55

Sebrae RS e Jucis RS ampliam parceria para desburocratizar o empreendedorismo gaúcho

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: