Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI mei Credito consultoria Boas Praticas

Loading SEBRAE

Franquias / Redes de Cooperação

Mercado

Tendências que irão transformar o turismo online

atualizado em: 14/01/19
Túlio Josué Pinheiro dos Santos

Túlio Josué Pinheiro dos Santos

Coordenador Estadual de Franquias e Redes Cooperação do SEBRAE RS

COMPARTILHE
Como trazer o mais tradicional do local, com uma abordagem contemporânea e com acesso facilitado e completo?

Clique no play acima para ouvir o conteúdo!

Quando falamos em tendências, imaginamos o que ainda está por vir. Entretanto, em sua grande maioria, existem outras variáveis que já estão presentes nas nossas vidas. A análise de tendências retrata o direcionamento e o sentido para onde o mercado está caminhando e como se preparar para esse novo cenário. Dentro do contexto do turismo e comércio eletrônico verificamos algumas modificações no formato de consumo e na inserção de novas tecnologias que vem impactando as empresas;

Um dos principais fatores é o comportamento do consumidor para o omnichannel. A integração de canais está mais presente em nossa realidade, mas ainda carece de um entendimento mais amplo dos seus ganhos e como as empresas podem se diferenciar com esse mecanismo. Esse fator está alinhando não somente ao crescimento do e-commerce como também dos e-consumidores que desejam ser atendidos do mesmo jeito que o canal físico e desejam ter os mesmos preços e facilidades. Essa integração de canais facilita o processo de relacionamento da marca com o consumidor. No turismo, essa integração é bastante útil, pois permite que as empresas possam demonstrar seus serviços turísticos e ofertas extras de produtos complementares.

Existe também uma grande evolução dos marketplaces, facilitando a inserção de micro e pequenas empresas no comércio eletrônico, seus canais de comunicação e exposição. Buscadores como Trivago, Booking, Expedia e Gestour são grandes players que dão oportunidade às pequenas empresas de estarem mais próximas dos clientes, convertendo e fidelizando.

Turismo online em alta

Essa conversão de clientes vai se tornar cada vez mais comum quando as empresas, instituições, hotéis, restaurantes estiverem atentos ao que o turista vai procurar. Um deles poderá estar ligado a lugares inexplorados e um turismo culinário autêntico, onde as pessoas desejarão estar mais longe da superlotação de turistas. As cidades mais vazias e baratas têm encantado os viajantes, como locais históricos e importantes culturalmente. E com uma culinária local, buscando uma gastronomia cada vez mais barata, porém autêntica. De acordo com o “Momondo”, o local ideal para encontrar isso é em mercados e até mesmo com a comunidade local. Sites como “EatWith” e “MealSharing” permitem agendar refeições com moradores da região.

Estamos observando também uma crescente para lugares mais exóticos como África do Sul, Tailândia, Índia, China, Marrocos e Egito. Isso se deve a uma vontade das pessoas de se autoconhecer, de voltar às origens e sair dos grandes centros tradicionais, e de buscar contato com a comunidade local para adquirir conhecimento. A pergunta é: como trazer o mais tradicional do local, com uma abordagem mais contemporânea e com acesso facilitado e completo?

Outro fator que vai ser mais presente nas escolhas de consumo e que o mercado precisa estar atento é o fato de estar mais próximo com a comunidade local para conhecer a realidade do território. Assim, enxerga-se uma oportunidade de construir espaços comuns para que as pessoas possam se conectar. Isso é um pouco do que vem acontecendo nos Estados Unidos, por exemplo, onde o foco dos hotéis durante este ano será criar espaços amplos e comunitários, em vez de aumentar o tamanho dos quartos, pois é isto que os novos viajantes esperam: conhecer pessoas novas. As áreas mais procuradas são os lounges abertos, como os que existem nos hotéis Moxy/USA.

Somado a esses aspectos, de acordo com a publicação Pequenas Empresas e Grandes Negócios (PEGN), outros itens vêm surgindo para facilitar a vida dos viajantes e que as empresas devem estar atentas para adaptar o seu negócio:

  • Expansão da economia compartilhada

Inovações tecnológicas do mercado como Airbnb e Uber já estão amplamente conhecidas. Mas existem muitos outros mecanismos que estão emergindo para facilitar a vida do viajante. São sites que oferecem carona (Bla Bla Car), hospedagem para visitantes (Couchsurfing), aluguel de barcos por um ou mais dias (BoatBound), contratação de passeios e guias locais (Viator) e até jantar na casa de um chef amador, que mora no destino turístico (Eat With Me).

  • Crescimento dos poshtels

São os famosos hostels chiques. Como já visto, o custo de viagem pode influenciar diretamente nos destinos escolhidos. Pensando nisso, meios de hospedagem estão modificando sua oferta para trazer uma boa relação custo-benefício, para atrair turistas que querem economizar, mas não abrem mão do design, do conforto e do ambiente.

  • Aumento dos bleisures

As famosas viagens de trabalho e que viram também lazer. Essa divisão do mundo do trabalho com o lazer está cada vez mais tênue, pois os profissionais aproveitam suas viagens de negócios para conhecer mais lugares e aproveitar os destinos turísticos. O que as empresas precisam estar atentas é o que oferecer para esse hospede passageiro e que pode ser fidelizado posteriormente.

  • Fortalecimento das experiências de turismo

Experiência é a palavra-chave para quem vai procurar um destino. Então, encontrar canais para demonstrar que a empresa/destino possui diferenciais competitivos voltados à experiência do cliente é conversão na certa. E, o comércio online facilita encontrar o público-alvo adequado para produtos bem específicos, como turismo cervejeiro, viagens espiritualizadas, viagens com pets, etc. As ferramentas de marketing digital, como blogs, mídias sociais e anúncios online são muito eficientes na promoção de roteiros especializados. O Airbnb, por exemplo, já possui filtros de experiência em seu aplicativo.

Você que leu até aqui percebeu que o turismo e o comércio eletrônico estão crescendo e dentro dessa contextualização já foi possível entender quais aspectos precisam estar desenvolvidos no turismo anteriormente para que o comércio eletrônico e a presença digital possam ser mais assertivos. Verificou-se também que não adianta nada saber os números de crescimento desses setores sem entender as necessidades e desejos dos clientes e o que está por vir de novidades nesses mercados, pelo avanço tecnológico e pela mudança de comportamento das pessoas.

Mas por onde começar? Como uma empresa do setor turístico pode aproveitar o comércio eletrônico para ampliar suas vendas? O próximo artigo vai te ajudar nessa caminhada!

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

05 de Dezembro de 2019

Dia de Campo acontece em São Miguel das Missões

SAIBA MAIS

 

05 de Dezembro de 2019

Festival de arte, cultura e gastronomia em Caxias do Sul

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 04/12/2019 12:23

Empreendedores de Porto Alegre agora podem registrar empresas sem sair de casa

Sebrae RS Podcast 04/12/2019 12:11

Dia de Campo, em Jóia, é o maior evento de integração lavoura-pecuária do sul do país

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: