Loading SEBRAE

Mais buscados: sei mei Credito consultoria Boas praticas

Loading SEBRAE

Metalmecânico

Indústria 4.0

Manufatura aditiva pode mudar para sempre a cadeia de suprimentos

atualizado em: 15/01/19
Fabiano Cislaghi Dallacorte

Fabiano Cislaghi Dallacorte

Coordenador estadual do Metalmecânico e Energia do SEBRAE RS.

COMPARTILHE
Quando a empresa demandante de uma peça passa a fabricá-la por meio da manufatura aditiva, o fornecedor precisa mudar seu modelo de negócios

A quarta revolução industrial, conhecida como Indústria 4.0, chamada também de manufatura avançada, propõe a integração de toda a organização, desde o atendimento aos clientes, passando pelo processo de fabricação, até a entrega. Mais do que isso, o conceito integra toda a cadeia de suprimentos de forma digital na busca pela máxima produtividade. Um dos componentes do conceito da manufatura avançada é a manufatura aditiva, que podemos traduzir como a adição de material na produção de um objeto. Esse processo é antagônico ao processo de manufatura subtrativa, que tem como exemplo o processo de usinagem, onde se retira material de uma peça, gerando resíduos e perdas. Para finalizar com o mistério: a manufatura aditiva é popularmente conhecida como impressão 3D.

O local comum da impressão 3D nas indústrias são os laboratórios de desenvolvimento de produtos. A prototipagem rápida permitida pela impressora 3D dá velocidade na pesquisa e desenvolvimento e baixa o custo de pré-produção quando comparado aos métodos tradicionais. Mas esse processo tende a, cada vez mais, ganhar espaço nos ambientes de produção. Pensando pela lógica da perda de material, a impressão 3D tem um fator competitivo. A otimização da utilização de material no processo produtivo reduz custos e aumenta a competitividade do produto. Por outro lado, a velocidade de produção reduzida quando comparada à produção seriada em um sistema de produção tradicional, por enquanto não é competitiva o suficiente para grandes volumes de produção.

Esse trade-off entre velocidade e flexibilidade está diminuindo com o aumento da tecnologia. Utilizar sistema de manufatura híbrida, com a usinagem somada à impressão 3D, pode ajudar a criar peças com ligas nobres, de custo elevado, na quantidade exata para serem acabadas com a mínima retirada de materiais possível, gerando menos perdas. Hoje existem máquinas que combinam os dois sistemas e tornam o tempo de setup mais curto, provendo maior produtividade.

Manufatura aditiva em alta

À medida que a manufatura aditiva vai sendo implementada, novos caminhos surgem para a logística e a disponibilidade de produtos diretamente para o cliente final. Um varejista de peças e componentes para a indústria automotiva, por exemplo, poderá ter uma impressora 3D no ponto de venda e, literalmente, imprimir a peça inteira, eliminando desde a produção na indústria até a distribuição, processo logístico e armazenagem. Por outro lado, uma indústria que produz conjuntos montados poderá fabricar peças customizadas que antes eram produzidas por outro fornecedor.

Esse cenário pode ser o mais transformador para a cadeia de suprimentos. No momento em que a empresa demandante de uma peça passa a fabricá-la por meio da manufatura aditiva, o fornecedor precisa mudar o seu modelo de negócios. Conhecedor das características necessárias para a competitividade do seu produto, esse fornecedor deixa de ser um supridor de itens e passa a ser um especialista em projetos de peças, vendendo não a fabricação da peça e sim o projeto, que será utilizado pela empresa demandante para a produção dos itens através da manufatura aditiva.

Partindo para uma visão apocalíptica da cadeia de suprimentos, ela se reconfigura a ponto de a empresa demandante ter em estoque apenas os polímeros e metais para a fabricação através da impressão 3D, com projetos fornecidos pelas empresas que dominam as características técnicas de cada componente para um produto final a ser vendido para o cliente. Cabe aos fornecedores, que são majoritariamente pequenas empresas, a reestruturarem e remodelarem seu modelo de negócio pensando em uma nova configuração da cadeia de suprimentos.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

16 de Julho de 2019

Próxima edição do Dito Efeito acontece em Porto Alegre

SAIBA MAIS

 

16 de Julho de 2019

Coopergov promove integração de planos de turismo na Costa Doce

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 11/07/2019 16:06

Sebrae RS lança novas soluções para programa Pratique com turmas gratuitas

Sebrae RS Podcast 10/07/2019 11:10

Projeto AgroInnovation aproxima produtores rurais de novas tecnologias e inovação

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: