Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI MEI CREDITO Consultoria BOAS PRATICAS

Loading SEBRAE

Moveleiro

Materiais

Compreendendo os diferentes painéis de madeira para móveis

21/06/18
Andrei Carletto

Andrei Carletto

Coordenador Estadual do Moveleiro do SEBRAE RS

COMPARTILHE
Os painéis de madeira predominam na indústria moveleira, e é necessário conhecer suas especificidades e as vantagens e desvantagens na utilização

Compreendendo que os painéis de madeira predominam na indústria moveleira, vamos abordar um pouco mais sobre cada um deles, conhecendo suas especificidades e as vantagens e desvantagens na utilização.

MDF (MEDIUM DENSITY FIBERBOARD)

Traduzindo a sigla para o português, MDF significa “chapa de fibra de madeira de média densidade”. A principal característica desse tipo de matéria-prima é ter as faces com maior densidade do que a camada interna. Esse material é semelhante à madeira quanto às propriedades, considerando a forma de modelar a matéria-prima.

  • Aplicações

O MDF permite receber formas arredondadas e com riqueza de contornos. É recomendado para os casos que necessitem de usinagens de baixo relevo ou topo, pois proporciona melhor resultado de acabamento.

Compreendendo os diferentes painéis de madeira para móveis

  • Vantagens

Podem ser aplicados diversos tipos de revestimentos, como lâminas de madeira, papéis impressos, pintura ou impressão. Os painéis podem ser cortados em qualquer sentido, devido à orientação de suas fibras, mantendo o acabamento da superfície liso e uniforme ao toque. É resistente e de baixo custo, para produção em escala.

  • Desvantagens

Assim como os demais painéis de madeira e como a própria madeira, é vulnerável a ambientes úmidos. Nessas condições, é indicado que a superfície e o topo sejam revestidos. Além disso, dependendo da dimensão da peça, possui grande propensão ao empenamento, devido a suas pequenas fibras.

HDF (HIGH DENSITY FIBERBOARD)

Material muito semelhante ao MDF, significa “chapa de fibra de madeira de alta densidade”, porém, a diferença está na maior pressão aplicada durante o processo de fabricação. Quanto a vantagens e desvantagens, é idêntico ao MDF, diferindo por ser um material de alta densidade e, assim, suportar mais peso e poder vencer vãos maiores sem a necessidade de reforço.

MDP (MEDIUM DENSITY PARTICLEBOARD)

MDP é a abreviação de “painel de partículas de média densidade”. Esse material é resultado do uso de prensas contínuas, modernos classificadores de partículas e softwares de controle de processo, associados à utilização de resinas e madeira de florestas plantadas. O MDP pertence a uma nova geração de painéis de partículas de média densidade, com características superiores e totalmente distintas dos painéis de madeira aglomerada de antigamente. Ele apresenta maior densidade das camadas superficiais, três camadas de produção interna, grande homogeneidade e uniformidade nas camadas, propriedades mecânicas superiores, melhor resistência ao tirar parafusos, menor absorção de umidade e menor propensão ao empenamento.

  • Aplicações

O MDP é mais indicado para móveis de linha reta e formas orgânicas, que não exijam usinagens em baixo relevo ou cantos arredondados, tais como portas retas, laterais de móveis, prateleiras e divisórias.

  • Vantagens

O MDP é o painel de madeira mais utilizado no mundo por ser econômico e competitivo, oferecendo qualidade, resistência e baixo custo para produção em escala.

  • Desvantagens

Assim como os demais painéis de madeira e como a própria madeira, é vulnerável a ambientes úmidos. Nessas condições, é indicado que a superfície e o topo sejam revestidos.

COMPENSADOS

O compensado foi o primeiro painel de madeira industrializada a ser inventado. É um composto de lâminas de madeira sobrepostas em número ímpar de camadas, formando um ângulo de 90° entre elas, unidas por adesivos e resinas por meio de pressão e calor. As principais madeiras utilizadas para produzir compensados são a virola e o pinus. Há dois tipos de compensado: o multilaminado, composto apenas de lâminas sobrepostas e cruzadas, e o sarrafeado, que possui essa estrutura nas superfícies, mas tem, no interior, um tapete formado de madeira serrada. O segundo é mais caro devido ao processo de fabricação e à menor procura.

  • Aplicações

Na indústria moveleira, são usados na fabricação de armários, prateleiras, repartições e revestimentos e bases para estofados ou poltronas.

  • Vantagens

Podem ser de uso interior e de uso exterior ou à prova d’água, dependendo do revestimento. Sua versatilidade permite, através da conformação das lâminas, criar superfícies curvas.

AGLOMERADOS

Os aglomerados surgiram na década de 40, usando serragem e restos de madeira unidos por cera e resina, para fabricar um novo tipo de compósito. Atualmente, com a evolução dos processos tecnológicos, são menos utilizados, pois perderam espaço para o MDP. As chapas não resistem à umidade ou variações de temperatura, em comparação com o compensado. No entanto, quando o custo é primordial, trata-se da melhor opção.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

13 de Agosto de 2018

Produtores de orgânicos do RS prospectam mercado em Brasília

SAIBA MAIS

 

13 de Agosto de 2018

Mercopar é divulgada em Panambi e Bento Gonçalves

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 10/08/2018 16:33

Sebrae leva opções de crédito a Soledade, Ibirubá e Passo Fundo

Sebrae RS Podcast 09/08/2018 17:07

Pais empreendedores contam suas experiências

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: