Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI mei Credito Consultoria Boas Praticas

Loading SEBRAE

Olivicultura

Mercado crescente

Produção nacional ainda é pequena, mas ganha em qualidade

07/03/18
Pedro Brites Pascotini

Pedro Brites Pascotini

Coordenador Estadual de Olivicultura e Grãos e sistemas integrados do SEBRAE RS

COMPARTILHE
EUA, Austrália, Chile, África do Sul, China e Brasil demonstram que é possível produzir azeite extra virgem de qualidade fora da Europa e conquistar seus mercados internos aos poucos

O mercado e a produção de azeite de oliva nacional começaram a se formatar muito recentemente. Mesmo assim, o produto brasileiro de qualidade já é reconhecido por consumidores e especialistas. O país é o segundo maior importador no mundo, e sua produção ainda é muito pequena – o produto nacional representa menos de 1% do que é importado, e não há exportações. Para especialistas como Estela Testa, CEO América Latina da Pieralise do Brasil – empresa especializada em equipamentos para a extração do óleo de oliva –, o País não pode cometer o “pecado” de substituir seus azeites de qualidade por azeites importados simplesmente para atender a um crescimento superior da demanda desse novo mercado criado pelos próprios produtores. “Temos que ter o cuidado de coordenar o crescimento do mercado consumidor com a produção nacional”, alerta.

O mercado internacional está em alta na produção e no consumo. A demanda por azeite extra virgem tem crescido nos últimos anos em um ritmo muito maior do que a produção, especialmente em países que não têm tradição na olivicultura. De acordo com Estela, EUA, Austrália, Chile, África do Sul, China e Brasil demonstram que é possível produzir azeite extra virgem de qualidade fora da Europa e conquistar seus mercados internos aos poucos. No panorama nacional, a produção deve ter bom incremento em 2018, apesar das geadas no Rio Grande do Sul, com compensação da produção no Sudeste (Minas Gerais e São Paulo). A expectativa é de que a safra de 2018 produzirá 150 mil litros de azeite extra virgem, superando a safra de 2017 em 42%. Porém, essa quantidade não supera 1% do consumo interno. O Rio Grande do Sul é destaque, onde tanto a produção de mudas como o aumento de área plantada vêm registrando recordes, com 800 hectares plantados em 2017, e realizando também a substituição de lavouras, principalmente de castanhas.

06

Na avaliação de Estela, como grande mercado, mas ainda jovem, o Brasil é ideal para ser treinado e capacitado a aumentar o consumo de bons azeites, fomentando o consumo do produto nacional. “Por sua pequena produção, o azeite feito no país tem alto grau de qualidade. O resultado se dá em azeites frescos, com alto conteúdo de polifenóis (antioxidantes) e que vêm conquistando grandes premiações internacionais. A receptividade do consumidor é muito boa em relação ao azeite nacional, o que faz com que muitos produtores não consigam dar conta de atender a toda sua demanda”, diz.

Este também é um mercado para micro e pequenos empreendedores, segundo a especialista. No Rio Grande do Sul e na Região Sudeste existem investidores de todos os portes na produção e na comercialização. Em sua maioria são investidores que possuem outra fonte de capital e que acabam incentivando e fornecendo suas plantas para a extração dos pequenos produtores, que sentem-se seguros sem a necessidade inicial de investir em sua indústria até que o seu negócio prospere.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

15 de Fevereiro de 2019

Sebrae RS terá estande coletivo na Expodireto Cotrijal 2019

SAIBA MAIS

 

14 de Fevereiro de 2019

Nova edição do Empretec chega a Rio Grande

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 19/02/2019 11:33

Quatro MPEs de Pelotas e Rio Grande são selecionadas para Prêmio de Inovação

Sebrae RS Podcast 18/02/2019 12:23

Sebrae RS fará oficinas de degustação de vinhos, espumantes e sucos na Festa Nacional da Uva

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: