Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI mei CREDITO Consultoria Boas Praticas

Loading SEBRAE

Saúde

Sistema Único

SUS como operador de plano de assistência à saúde

05/01/18
Ana Paula Rezende

Ana Paula Rezende

Coordenadora Estadual da Saúde do SEBRAE RS

COMPARTILHE
O SUS é um operador de plano de assistência à saúde dotado de grande complexidade e que oferece serviços médicos gratuitos para qualquer indivíduo que esteja no Brasil

No começo do século 20, a operação e os custos da saúde sempre foram de responsabilidade do setor público e da atividade filantrópica. Por consequência, as organizações tinham dificuldades para operar e obterem lucro. Diante do considerável crescimento populacional desde a Segunda Guerra e do aumento das demandas por serviços de saúde pública, diversas adaptações e experiências internacionais foram feitas na criação de sistemas de saúde em que planos privados começam a ter participação.

Atualmente, o segmento da saúde é constituído por organizações de natureza operacional e objetivos estratégicos distintos. Sejam os planos de saúde, clínicas médicas e odontológicas, hospitais e laboratórios de análises clínicas, indústria de equipamentos e medicamentos, além do atendimento às normas da Agência Nacional de Saúde (ANS) e Anvisa, todos querem maximizar o retorno de investimentos na promoção da saúde, prevenção de doenças e reabilitação do paciente.

O atual cenário econômico e demográfico tem impactado toda a cadeia da saúde. As operações do SUS e dos planos de saúde estão sofrendo com os efeitos do envelhecimento da população, a exemplo no Estado do Rio Grande do Sul, onde cerca de 11% da população tem mais de 65 anos.

Além disso, a saúde tem sido impactada pelo aumento das taxas de desemprego e informalidade – que, por consequência, reduzem beneficiários –, o aumento da inadimplência, o alto custo das novas tecnologias, a mudança da cobertura nacional para regional, a elevação das despesas com exames/tratamentos e a ascensão da classe C – que ampliou a demanda de bens e serviços de saúde – e principalmente a redução e atraso dos repasses do SUS para hospitais e postos de saúde integrados a esse sistema.

Diante deste cenário recessivo vindo de 2015 e 2016, há oportunidades, gargalos e dificuldades para o setor da saúde suplementar no Brasil. Para 2018, já com uma perspectiva de elevação, as projeções apontam para o crescimento de 10,1% no faturamento do setor (LAFIS 2017).

O SUS é, hoje, a maior política pública que o Brasil já construiu, pois nunca se fez tanto em termos de inclusão social e acesso da população à saúde. Apesar das falhas que o modelo apresenta, se faz muito com o pouco que tem. Hoje, 20% da população tem plano de saúde privado, mas mesmo assim termina utilizando o SUS nas ações de prevenção, imunização, doenças infecciosas, promoção, tratamento de alto custo e transplantes. É um engano imaginar que o SUS atenda somente a camada menos favorecida, pois 90% dos procedimentos de alto custo e complexidade são oferecidos somente através dele.

O SUS é um operador de plano de assistência à saúde dotado de grande complexidade e que oferece serviços médicos gratuitos para qualquer indivíduo que esteja no Brasil, e as operadoras de planos de saúde com fins lucrativos devem estar cientes de que o sistema é o maior concorrente.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

22 de Junho de 2018

Arte no espaço Ágape, em Pelotas

SAIBA MAIS

 

22 de Junho de 2018

Mercopar já está com 70% dos espaços reservados

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 21/06/2018 18:01

Inscrições abertas para o Startup RS Digital

Sebrae RS Podcast 19/06/2018 16:08

Lajeado terá evento sobre gerenciamento de atestados em empresas

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: