Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI MEI Credito Consultoria BOAS PRATICAS

Loading SEBRAE

Saúde

Desospitalização

Transição segura do cuidado

09/10/18
Laura Severo da Cunha

Laura Severo da Cunha

Gestora de Educação e Saúde Funcional

COMPARTILHE
Desospitalizar é uma necessidade para melhores resultados individuais e coletivos,  racionalização de recursos, maior acesso à rede de saúde e redução do custo assistencial

O modelo de saúde brasileiro está organizado em forma de rede (integração dos serviços), por região e em níveis de complexidade (hierarquização). A partir dessa estruturação, onde há conexão entre todos os níveis de cuidado, faz-se necessário pensar além dos próprios pontos de atenção, como também no movimento do paciente por entre estes níveis. Chamamos esse movimento de “transição do cuidado”.

O processo de desospitalização é um dos exemplos mais complexos de transição do cuidado que, por essa razão, tem despertado cada vez mais a atenção dos profissionais e gestores de saúde. O termo transição do cuidado ainda não é popular, refere-se a qualquer mudança de nível de atenção, dentro de uma mesma estrutura ou entre estruturas prestadoras de serviços de saúde. O movimento de transferência do paciente de uma unidade de terapia intensiva para a enfermaria em um mesmo hospital já é considerado transição do cuidado, implicando em inúmeras medidas para a garantia da segurança do paciente.

Desospitalizar não é uma opção, mas uma necessidade em prol de melhores resultados individuais e coletivos, da racionalização dos recursos, do maior acesso à rede de saúde e da redução do custo assistencial para todas as partes.

Transição segura do cuidado

O risco associado à descontinuidade do cuidado a cada movimento de transição do paciente representa um dos mais importantes elementos envolvidos nesse processo. Além da preocupação com a recuperação da saúde do paciente, há a necessidade de manter disponível o hospital – alta complexidade – para aqueles usuários que dele venham necessitar. Em tempos de escassez de recursos e novas demandas de saúde, compreender o sistema e os desafios que envolvem a transição do cuidado poderá auxiliar no alcance do restabelecimento integral da saúde e na sobrevivência do sistema. Segundo a ANAHP, pacientes de longa permanência ocupam 1/4 dos leitos hospitalares.

O conceito de hospital tem as suas origens no vocábulo hospes (“hóspede” ou “visita”) do qual resulta hospitalitas (“hospitalidade”). Com o passar do tempo, a noção passou a dizer respeito à qualidade de acolher/hospedar alguém bem e com satisfação. Esta história semântica talvez dimensione o esforço que será necessário para transpormos o paradigma hospitalocêntrico que faz crer no hospital como o local onde cuidado de saúde prestado é o mais adequado.

 

SAIBA MAIS 

Palestra online: Transição Segura do Cuidado em Saúde

Data: 16/10, das 14h às 15h

Palestrante: Laura Severo

Objetivo: informar micro e pequenas empresas e profissionais da saúde acerca do processo de transição do cuidado, em especial na migração do hospital para o domicílio, conhecida como desospitalização.

Acesse aqui: http://bit.ly/palestrasaudesebrae


Bate-papo online: Desospitalização, um dos Desafios da Saúde

Data: 18/10, das 14h às 15h

Palestrantes: Laura Severo, Alessandra Lima, Lisiane Paskulin

Objetivo: apresentar diferentes experiências acerca da transição do paciente do hospital para o domicílio.

Acesse aqui: http://bit.ly/batepaposaudesebrae

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

14 de Novembro de 2018

Gaúchos participam da Feira Medica 2018, na Alemanha

SAIBA MAIS

 

14 de Novembro de 2018

Santa Cruz do Sul recebe curso Líder Coach

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 14/11/2018 11:56

Insight 2018 marca a semana global do empreendedorismo no RS

Sebrae RS Podcast 13/11/2018 09:50

Lajeado recebe palestra para incentivar empresários locais

Atendimento - Chat

Olá, tudo bem? Preencha os campos para iniciarmos o chat. ;)

Por favor, preencha o formulário abaixo e retornaremos seu contato assim que possível.

Início em: